Escravos do desejo: Quando o sexo vira um vício

Escravos do desejo: Quando o sexo vira um vício

No Banner to display

No Banner to display

Gostar de sexo é inerente ao ser humano, está na nossa genética, faz bem, une o casal e libera substâncias como a endorfina que nos deixa mais felizes. Porém, em alguns casos pode virar uma compulsão sexual e atrapalhar o indivíduo a realizar tarefas simples do cotidiano, a ideia é fixa: sexo o tempo todo.

escravos do prazerO cinema já trouxe este tema em diversos roteiros, alguns inclusive com pitadas de fantasia erótica, mas a realidade é que esta compulsão é algo sério e exige cuidados terapêuticos apropriados.

Não estou falando das fantasias nem da liberação sexual (que deve ser algo natural e saudável), mas sim de uma síndrome que traz sérias implicações ao indivíduo decorrente deste comportamento sexual compulsivo e definido como um distúrbio psicopatológico grave.

As pessoas que sofrem deste distúrbio não conseguem controlar seus impulsos sexuais e o sexo comanda seus hábitos e passam a viver em função da atividade sexual. Devido a alta rotatividade do número de parceiros, estas pessoas ficam mais vulneráveis a contrair DST’s (Doenças Sexualmente Transmissíveis). Além disso a vida social também é afetada, pois todos os esforços estão voltados a atender seus desejos sexuais, a infidelidade passa a ser algo constante e usual dificultando a manutenção de relações duradouras. O desejo é prioridade e impossível de ser controlado.

Escravos do desejo: Quando o sexo vira um vício

No caso das mulheres este desejo sexual hiperativo é conhecido como ninfomania, já entre os homens denomina-se satiríase. A compulsão sexual é um vício e portanto causa dependência de forma similar às drogas ou ao álcool por exemplo.

Se houve identificação com esta matéria e você acredita que o sexo está ocupando um espaço muito grande na sua vida, te prejudicando nas atividades rotineiras e nos seus relacionamentos amorosos porque seu pensamento está 100 % focado em sexo, procure um terapeuta, existem vários tratamentos que levam à cura.

Lembrem-se: Tudo em excesso e que nos prejudica, deve ser tratado.

Share This

Sobre o Autor

Blogueira principal, oriunda do mercado financeiro e pós-graduada na área de Gestão de Negócios pela FGV, fundou o site Sereias Urbanas e trouxe o olhar empresarial para um modelo de negócios digital......

Ver tudo de Paty Costa